Exame Nacional Escrito de Parapente (Nível 1) - 08 de março de 2014

Legislação Aérea e Procedimentos ATC

Pergunta 1

A entidade reguladora da aviação não militar em Portugal é:

A A Secretaria de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações.
B O Instituto Nacional de Aviação Civil, IP.
C O Instituto da Mobilidade e Transportes, IP.
D A Federação Portuguesa de Voo Livre.

Pergunta 2

Em Portugal, a entidade reguladora desportiva das atividades de Voo Livre é:

A A Secretaria de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações.
B Instituto Português de Desporto e Juventude - IP.
C O Instituto Nacional de Aviação Civil - IP.
D A Federação Portuguesa de Voo Livre.

Pergunta 3

O Regulamento de Instrução e Titulações da FPVL é um documento técnico que:

A Só é possível de ser alterado pelas escolas com licença de funcionamento válida.
B Estabelece 5 níveis de piloto de Voo Livre.
C Regulamenta a instrução, titulação e formação de pilotos e instrutores de Voo Livre.
D Regulamenta toda a atividade competitiva e formativa da FPVL.

Pergunta 4

A revalidação de licenças de piloto obriga à demonstração deste ter efetuado:

A Nos 12 meses anteriores ao pedido de revalidação, pelo menos 200 voos em cada uma das classes ou tipos averbadas na licença.
B No mês anterior ao pedido de revalidação, pelo menos 5 voos em cada uma das classes ou tipos averbadas na licença.
C Nos 12 meses anteriores ao pedido de revalidação, pelo menos 5 voos em cada uma das classes ou tipos averbadas na licença.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 5

São requisitos para obter a Licença de Pilotagem de Voo Livre:

A 16 anos e ter completado a escolaridade mínima obrigatória.
B 16 anos independentemente de ter completado a escolaridade mínima obrigatória.
C 18 anos e ter completado a escolaridade mínima obrigatória.
D 18 anos independentemente de ter completado a escolaridade mínima obrigatória.

Pergunta 6

As regras de voo estabelecem que, em espaço aberto quando dois pilotos se encontram em rota de colisão:

A Cada um deve virar à direita.
B Cada um desvia-se para a esquerda.
C Tem prioridade o piloto menos experiente.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 7

As regras de voo estabelecem que em voo junto à encosta, quando dois pilotos se encontram em rota de colisão:

A Cada um deve virar à direita.
B Cada um desvia-se para a esquerda.
C Tem prioridade o piloto menos experiente.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 8

É permitida a prática do Voo Livre:

A Em espaço aéreo não controlado com NOTAM emitido.
B Dentro de nuvens, só enquanto se consiga ver o GPS.
C Em espaços aéreos controlados, só se for em competição e em comunicação com a gestão de tráfego aéreo.
D Em áreas militares, só a menos de 300 metros de altura.

Pergunta 9

Áreas restritas são zonas em que:

A Não é permitido voar.
B É permitido voar mas existem perigos potenciais para a navegação aérea.
C É permitido voar com prévia autorização do controlo de espaço aéreo.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 10

A atual legislação:

A Obriga-nos a fazer a revisão das asas de 6 em 6 meses.
B Estabelece locais de prática desportiva onde mais nenhuma aeronave pode voar.
C Obriga-nos a cumprir VFR.
D Estabelece que, face aos equipamentos de localização transportados (GPS e variómetro), os pilotos de competição se podem reger por IFR.

Conhecimentos gerais de aeronaves

Pergunta 11

Quanto ao equipamento:

A O bordo de ataque é a parte de trás da asa quando ela está em voo.
B O extradorso é a parte de baixo da asa quando ela está em voo.
C As nervuras possuem aberturas que permitem a comunicação entre as células o que é uma mais-valia quando ocorrem perdas de pressão interna.
D As nervuras unem os estabilizadores.

Pergunta 12

No que respeita à homologação de equipamentos:

A É importante para se conhecer melhor o comportamento da asa em determinadas situações de incidentes em voo.
B A homologação das asas de voo livre é feita por uma empresa americana de construção aeronáutica.
C Uma asa homologada CEN A nunca fecha em voo.
D As homologações garantem a longevidade e durabilidade do material.

Pergunta 13

Quanto à escolha da asa a utilizar:

A Ser homologada ou não, é indiferente.
B Deve estar relacionada com o nível de prática e peso do piloto.
C Deve estar sempre relacionada com as ambições futuras do piloto.
D Graças ao material usado na sua construção, não necessita de efetuar revisões.

Pergunta 14

Quanto a instrumentos de medida:

A Um anemómetro mede a velocidade do vento.
B Um altímetro funciona com base na variação da humidade do ar.
C Um variómetro funciona com base na variação da velocidade do vento.
D Uma manga de vento indica sempre o norte.

Pergunta 15

Relativamente ao equipamento de segurança:

A O uso da proteção dorsal é fundamental em todas as ocasiões.
B As luvas devem ser usadas apenas quando está frio.
C Na preparação da descolagem, só depois de equipar o arnês se deve colocar o capacete.
D As botas de voo devem ser frescas, coloridas, muito flexíveis e sem atacadores.

Comportamento e limitações humanas

Pergunta 16

Numa descolagem a 3.800 metros de altitude:

A A velocidade de descolagem é superior à velocidade necessária ao nível do mar.
B Sintomas de hipoxia não deve ser um fator a tomar em consideração.
C Face ao frio, o capacete deve ser substituído por um gorro de lã.
D A única forma possível de inflar é ao estilo reverso devido ao gradiente de vento.

Pergunta 17

O potencial de risco da atividade é grandemente elevado com o uso de:

A Bebidas energéticas.
B Sumo de laranja.
C Sumos naturais.
D Álcool e drogas.

Pergunta 18

São recomendáveis à atividade do Voo Livre:

A Voar sozinho enquanto não dominar algumas manobras.
B Não se deixar pressionar para descolar por outras pessoas.
C O uso de equipamento de topo em termos de performance logo após o final do curso.
D Desrespeitar as advertências de pilotos mais experientes.

Pergunta 19

Ao descolar, o piloto deve ter em atenção:

A Se os restantes pilotos presentes na descolagem estão com disposição para voar.
B À corrida, tentando ir saltando para compensar as eventuais faltas de pressão na asa.
C Outros pilotos que possam estar a voar em frente da descolagem.
D Ir fazendo arranques e paragens sucessivas para compensar a velocidade da asa.

Pergunta 20

Todas as manobras em Voo Livre devem ser aprendidas:

A Sob a orientação de pilotos de competição.
B Em praias e em desnível não superior a 50 metros.
C Só junto ao solo para evitar grandes quedas.
D Sob a orientação de um Instrutor credenciado para a situação em causa.

Meteorologia

Pergunta 21

Porque se move o ar?

A A atmosfera tenta, constantemente, igualar as diferenças de pressão e humidade causadas pelo aquecimento diferenciado das regiões.
B A atmosfera tenta, constantemente, igualar as diferenças de pressão e temperatura causadas pelo aquecimento diferenciado das regiões.
C A atmosfera não tem qualquer interferência neste processo.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 22

Num sistema de baixas pressões o vento circula:

A No sentido horário se no hemisfério norte.
B No sentido anti-horário se no hemisfério norte.
C No sentido horário se no hemisfério sul.
D No sentido anti-horário se no hemisfério sul.

Pergunta 23

Grande proximidade das isóbaras, implica:

A Vento fraco.
B Vento forte.
C Vento nulo.
D Não tem relação com a velocidade do vento.

Pergunta 24

A Brisa de mar deve-se, sobretudo:

A Ao aquecimento diferenciado da terra e do mar.
B Ao igual aquecimento da terra e do mar.
C Ao sobreaquecimento do mar relativamente à terra.
D Nenhum dos anteriores.

Pergunta 25

A Brisa de terra:

A Sopra durante a tarde.
B Normalmente, sopra durante a noite e ao amanhecer na costa ocidental de Portugal continental.
C Sopra entre as 17h e as 20h no verão nos locais virados a Oeste.
D É muito húmida.

Pergunta 26

Os movimentos verticais do ar:

A São sempre muito suaves e estáveis.
B Têm origem no arrefecimento diferenciado do mar relativamente à terra.
C Podem ser muito instáveis e bastante turbulentos.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 27

São nuvens altas:

A Cúmulos Cumulonimbus, Nimboestratos e Estratos.
B Cirros, Cirrostratos e Cirrocúmulos.
C Altostratos, Altocumulos e Estratocumulus.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 28

Nimboestratos são nuvens:

A De convecção com contornos bem definidos.
B Verticais e muito poderosas.
C Espessas cinzentas e sem forma.
D De aspeto fibroso que forma halos solares e lunares.

Pergunta 29

No que respeita a superfícies frontais:

A Uma frente é uma superfície que separa duas massas de ar de características diferentes, principalmente em temperatura e humidade.
B À passagem duma frente quente temos sempre sol e céu azul.
C Um sistema frontal está sempre associado a vento forte de norte.
D Uma frente poderá ser fria, quente ou obscura.

Pergunta 30

Os sistemas frontais estão associados a:

A Sistemas de altas pressões.
B Vales depressionários.
C Sistemas de baixas pressões.
D Pântanos barométricos.

Procedimentos operacionais

Pergunta 31

Orelhas são usadas em parapente e:

A É uma manobra de emergência que permite estabilizar a subida em térmica.
B É uma manobra que estabiliza a asa por fazer aumentar a relação entre a sua superfície e o peso.
C É uma manobra que diminui a superfície da asa e aumenta a sua taxa de queda.
D É uma manobra de instabilidade que só deve ser usada por pilotos de acrobacia.

Pergunta 32

Para a mesma asa, a finesse máxima:

A É independente da carga alar.
B É superior para um carga alar superior.
C É superior para um carga alar inferior.
D Não existe relação entre carga alar e finesse.

Pergunta 33

Relativamente ao estudo das velocidades de um determinado perfil, uma polar de velocidades é estabelecida na relação entre:

A A velocidade máxima e a taxa de subida.
B A velocidade vertical e a taxa de queda.
C A velocidade horizontal e a taxa de subida.
D A velocidade vertical e a velocidade horizontal.

Pergunta 34

Numa polar de velocidades, à velocidade de pré-perda corresponde uma velocidade horizontal:

A Mínima.
B Máxima.
C Praticamente máxima.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 35

Em caso de fecho assimétrico involuntário o piloto deve:

A Baixar os manobradores ao máximo.
B Puxar os elevadores "A".
C Contrariar a tendência de rotação da asa para o lado do fecho.
D Baixar os manobradores ao máximo.

Pergunta 36

Em caso de acidente num local com vento:

A O controlo da asa deve ser uma preocupação.
B A proteção térmica do acidentado é irrelevante.
C Primeiro que tudo deve retirar-se o acidentado da cadeira/ arnês.
D Não é importante afastar qualquer outro potencial perigo do sinistrado.

Pergunta 37

Um piloto de parapente que ao aterrar sofra um traumatismo numa das pernas, se queixe de pé dorido e posição do pé diferente do normal, pode-se suspeitar de fractura. Deverá proceder-se da seguinte forma:

A Não retirar a bota e imobilizar o pé sem tentar corrigir a sua posição.
B Retirar a bota e colocar o pé na posição habitual para o piloto ter menos dores.
C Não retirar a bota, corrigir a posição do pé e imobilizar.
D Retirar a bota, e imobilizar o pé na posição em que se encontra.

Pergunta 38

Verificando-se que uma vítima apresenta uma deformação no braço resultante de uma fractura, deve:

A Esticar-se o braço pondo o osso no seu devido lugar e em seguida aplicar uma tala. Levar com a máxima urgência ao hospital.
B Imobilizar o braço tal como se apresenta, com tala e ligaduras, prevenir o estado de choque ou controlá-lo, se existir, e promover o transporte da vítima a uma emergência hospitalar.
C Agarrar o braço ao peito com uma ligadura elástica e dar-lhe um objeto de borracha para a mão para ir apertando de forma a manter a circulação sanguínea. Levar a vítima ao hospital mais próximo.
D Apertar bem a zona deformada com uma ligadura, imobilizar a vítima numa maca e conduzi-la ao hospital.

Pergunta 39

Em caso de hemorragia:

A Aplicar compressão manual direta, independentemente do local da hemorragia apresentar corpos estranhos encravados ou não.
B Expor o local da hemorragia e fazer compressão manual indireta ou direta, conforme, apresente, ou não, corpos estranhos encravados.
C Não atuar, esperar a chegada de meios de socorro adequados.
D Aplicar compressão manual direta nas artérias carótidas de forma a diminuir a quantidade de sangue e circulação.

Pergunta 40

Após uma aterragem violenta no meio de rochedos, a vítima queixa-se de dores abdominais, apresenta-se pálida, com suores frios e tem sede. Suspeitamos de:

A Hemorragia interna no abdómen.
B Traumatismo craniano.
C Gastroenterite aguda súbita e devemos dar-lhe água.
D Fratura dos ossos abdominais.

Princípios de voo

Pergunta 41

O princípio da sustentação tem como referência, no que diz respeito à sua explicação mais usual, o escoamento do ar no intradorso relativamente ao extradorso, sendo:

A A velocidade mais baixa no extradorso e mais alta no intradorso.
B A igual velocidade no extradorso e no intradorso.
C A velocidade mais alta no extradorso e mais baixa no intradorso.
D Nessa explicação, não existe qualquer relação entre a velocidade do ar no extradorso relativamente à do intradorso.

Pergunta 42

Considerando os diferentes perfis aerodinâmicos, as atuais aeronaves de voo livre usam perfis:

A Côncavos.
B Plano-convexos.
C Biconvexos simétricos.
D Biconvexos assimétricos.

Pergunta 43

Em movimento, a asa é sujeita a resistências:

A Parasitas quando acima dos 35Km/h.
B Induzidas quando acima dos 35Km/h.
C Parasitas e induzidas desde que em movimento.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 44

A RFA é o somatório das forças:

A Sustentação e peso.
B Sustentação e Resistência.
C Peso e resistência.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 45

À relação entre a superfície da asa e a sua envergadura chamamos:

A Enflechamento.
B Ângulo de Diedro.
C Alongamento.
D Curvatura.

Pergunta 46

Numa asa com velocidade, mãos em cima, de 43 km/h que se move a 55 km/h, podemos considerar que:

A Se desloca com vento de frente na ordem dos 12 km/h.
B Se não existe vento de costas é porque o piloto está a usar o acelerador.
C Se desloca numa ascendente com uma velocidade de subida na ordem dos 1,5m/s.
D Se desloca com vento de costas na ordem dos 10 km/h.

Pergunta 47

Ao ângulo de ataque máximo corresponde:

A O máximo planeio.
B A velocidade máxima.
C A taxa de queda mínima.
D A velocidade mínima.

Pergunta 48

Uma asa pode entrar em perda se:

A O piloto aumenta a sua velocidade acima da velocidade mínima de voo.
B O piloto diminui a sua velocidade abaixo da velocidade mínima de voo.
C O piloto aumenta a sua velocidade acima da velocidade máxima de voo.
D As asas não entram em perda.

Pergunta 49

Ao fazer uma volta demasiado lenta a asa pode entrar facilmente em:

A Perda assimétrica.
B Perda sustentada.
C Parachutagem.
D Perda dinâmica.

Pergunta 50

A definição de carga alar traduz-se:

A Na relação entre o peso da asa e a sua superfície.
B Na relação entre o peso em voo e a superfície da asa.
C Na relação entre o peso do equipamento de voo e a superfície da asa.
D Não tem qualquer relação entre peso e superfície.



Ao terminar carrega em 'CORRIGIR' para obteres o resultado.