FPVL - Exame Nacional Escrito (N1) 14 de novembro de 2015

Legislação Aérea e Procedimentos ATC

Pergunta 1

A entidade reguladora da aviação civil em Portugal é:

A A Secretaria de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações.
B O Instituto da Mobilidade e Transportes, I.P.
C A Autoridade Nacional da Aviação Civil.
D A Federação Portuguesa de Voo Livre.

Pergunta 2

Em Portugal, a entidade reguladora desportiva das atividades de Voo Livre é:

A A Autoridade Nacional de Regulação Desportiva.
B A Federação Portuguesa de Voo Livre.
C Instituto Português de Desporto e Juventude - IP.
D O Secretário de Estado do Desporto e Juventude por delegação do Conselho de Ministros.

Pergunta 3

O Regulamento de Instrução e Titulações da FPVL é um documento técnico que:

A Só é possível de ser alterado pelas escolas com licença de funcionamento válida.
B Estabelece 5 níveis de piloto de Voo Livre.
C Regulamenta toda a atividade competitiva e formativa da FPVL.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 4

A renovação de licenças de piloto obriga à demonstração deste ter efetuado:

A Nos 12 meses anteriores ao pedido de revalidação, pelo menos 5 voos em cada uma das classes ou tipos averbadas na licença;
B Nos 3 meses anteriores ao pedido de revalidação, pelo menos 5 voos em cada uma das classes ou tipos averbadas na licença;
C Demonstração de ter superado uma prova de voo administrada por um examinador de voo em cada uma das classes ou tipos de aeronave pertinentes;
D Demonstração de ter superado uma prova teórica administrada por um examinador de voo;

Pergunta 5

São requisitos para obter a Licença de Pilotagem:

A 18 anos e ter completado a escolaridade mínima obrigatória.
B 18 anos independentemente de ter completado a escolaridade mínima obrigatória.
C 16 anos e ter completado a escolaridade mínima obrigatória.
D 16 anos independentemente de ter completado a escolaridade mínima obrigatória.

Pergunta 6

As regras de voo estabelecem que, em voo junto a uma encosta quando dois pilotos se encontram em rota de colisão, perde prioridade o piloto que:

A Tem mais experiência.
B Tem a encosta do seu lado direito.
C Está mais alto.
D Tem a encosta do seu lado esquerdo.

Pergunta 7

As regras de voo estabelecem que em voo em espaço aberto, quando dois pilotos se encontram em rota de colisão, devem:

A Um subir e o outro descer.
B Virar à esquerda.
C Subir.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 8

É permitida a prática do Voo Livre

A Dentro de nuvens, desde que se consiga ver o GPS.
B Em espaços aéreos controlados, desde que em comunicação direta e constante com a gestão de tráfego aéreo.
C Em espaços aéreos não controlados com NOTAM emitido.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 9

Áreas proibidas podem estar associadas à defesa de um estado, pelo que são zonas em que:

A É permitido voar desde que acima dos 1.000 pés (cerca de 300 metros).
B É permitido voar só quando expressamente autorizado.
C É permitido voar mas existem perigos potenciais para a navegação aérea, pelo que fica ao critério do piloto a sua utilização.
D Não é permitido voar.

Pergunta 10

A actual legislação:

A Obriga-nos a fazer a revisão dos equipamentos de 6 em 6 meses.
B Estabelece locais de prática do voo desportivo onde mais nenhuma aeronave pode voar.
C Estabelece que, face aos equipamentos de localização transportados (GPS e variómetro), os pilotos de competição se regem por IFR.
D Nenhuma das anteriores.

Conhecimentos gerais de aeronaves

Pergunta 11

Quanto ao equipamento:

A O bordo de ataque é a parte de trás da asa quando ela está em voo.
B O extradorso é a parte de baixo da asa quando ela está em voo.
C As nervuras unem o extradorso ao intradorso.
D Os suspensores unem ao bordos marginais.

Pergunta 12

Para melhor a eficácia de abertura, os paraquedas de emergência devem ser abertos, arejados e dobrados:

A De 18 em 18 meses.
B De 12 em 12 meses
C De 3 em 3 meses.
D Todos os meses.

Pergunta 13

Quando em paraquedas, a chegada ao solo pode ser violenta, pelo que o piloto deverá:

A Correr o máximo possível para dissipar a energia.
B Juntar as pernas, puxar os joelhos ao tronco e olhar para cima.
C Afastar as pernas e olhar para cima.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 14

Quando se faz a revisão do paraquedas, o ideal será:

A Limpar os cordões e o tecido com água tépida e deixá-lo ao sol para eliminar toda a humidade.
B Deixá-lo a arejar à sombra de um dia para o outro.
C Passar bem cada prega, de preferência com um ferro de engomar frio.
D Colocar resina nos cordões para diminuir a tensão de fricção.

Pergunta 15

Quanto a instrumentos de medida:

A Um anemómetro mede a distância às nuvens.
B Um altímetro funciona com base na variação da pressão atmosférica.
C Um variómetro funciona com base na variação da velocidade do vento.
D A manga de vento serve para indicar o norte.

Comportamento e limitações humanas

Pergunta 16

Numa descolagem a 4.200 metros de altitude:

A Dores de cabeça são um sintoma de hipóxia.
B Náuseas e vómitos não são sintomas de hipóxia.
C Desorientação e movimentos não coordenados não são sintomas de hipóxia.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 17

Fenómenos de hiperventilação em altitude:

A Podem ter origem na maior quantidade de oxigénio disponível.
B Caraterizam-se por uma respiração profunda.
C Podem provocar tontura, vertigem, dor de peito e desmaio.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 18

Efeitos da altitude sobre os ouvidos e seios perinasais:

A Com o aumento da altitude, deve usar-se o manobra de valsalva.
B Os efeitos da altitude manifestam-se de igual forma para todas as pessoas.
C Com o aumento da pressão, deve usar-se o manobra de valsalva.
D Não há qualquer efeito da altitude sobre os ouvidos e seios perinasais.

Pergunta 19

Ao descolar, o piloto deve ter em atenção:

A A outros pilotos que possam estar a voar na zona.
B A inflar sempre com o máximo de rapidez possível.
C À corrida, tentando saltitar para compensar as consecutivas faltas de pressão na asa.
D Aos arranques e paragens sucessivas necessários para compensar a velocidade da asa.

Pergunta 20

São recomendáveis à atividade do Voo Livre:

A Deixar-se influenciar a descolar por parte de outras pessoas.
B O uso de equipamento de competição logo após o final do curso de iniciação.
C Ignorar advertências de pilotos mais experientes.
D Não voar sozinho.

Meteorologia

Pergunta 21

Porque se move o ar? Porque...

A ... a atmosfera tenta, constantemente, igualar as diferenças de pressão e humidade causadas pelo aquecimento diferenciado das regiões.
B ... a terra está em movimento constante (Rotação e translação).
C ... a atmosfera tenta, constantemente, igualar as diferenças de pressão e temperatura causadas pelo aquecimento diferenciado das regiões.
D ... existe a força de Coriólis.

Pergunta 22

Num sistema de baixas pressões o vento circula:

A No sentido horário nos dois hemisférios (sul e norte).
B No sentido anti-horário nos dois hemisférios (sul e norte).
C No sentido horário se no hemisfério norte.
D No sentido anti-horário se no hemisfério norte.

Pergunta 23

Grande proximidade das isóbaras, indica:

A Vento praticamente nulo.
B Vento moderado.
C Vento forte.
D A proximidade das isóbaras não tem relação com a velocidade do vento.

Pergunta 24

A brisa de mar deve-se, sobretudo:

A Ao sobre-aquecimento da terra relativamente ao mar.
B Ao sobre-aquecimento do mar relativamente à terra.
C Ao igual aquecimento da terra e do mar.
D Não há relação entre o aquecimento da terra e do mar com a brisa de mar.

Pergunta 25

A brisa de terra:

A É fresca e muito húmida.
B Sopra durante a tarde.
C Normalmente, sopra durante a noite e ao amanhecer na costa ocidental de Portugal continental.
D Sopra entre as 17h e as 20h no verão nos locais virados a Oeste.

Pergunta 26

Os movimentos verticais do ar:

A Têm origem no arrefecimento diferenciado do mar relativamente à terra.
B São sempre muito suaves e estáveis.
C Podem ser muito instáveis e bastante turbulentos.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 27

Na sua classificação quanto à altitude, são nuvens baixas:

A Cirros, cirrostratos e cirrocúmulos;
B Cúmulos Cumulonimbus, Nimboestratos e estratos.
C Altostratos, altocumulos e estratocumulus.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 28

Cirros são nuvens:

A Baixas sem estrutura, finas e uniformes.
B De aspecto branco acinzentado e sem base definida.
C Altas, brancas translúcidas e de aspeto fibroso mais ou menos compacto.
D Espessas cinzentas e sem forma.

Pergunta 29

Os sistemas frontais estão associados a:

A Sistemas de altas pressões.
B Vales depressionários.
C Sistemas de baixas pressões.
D Pântanos barométricos.

Pergunta 30

No que respeita a superfícies frontais:

A Uma frente é uma linha que separa duas massas de ar com características diferentes, principalmente em temperatura e humidade.
B Uma frente poderá ser fresca, quente ou obtusa.
C Um sistema frontal está sempre associado a vento forte de norte.
D À passagem duma frente quente temos sempre sol e céu azul.

Procedimentos operacionais

Pergunta 31

Orelhas são usadas como:

A Manobra que diminui a relação entre a superfície da asa e o peso em voo, provocando a diminuição da sua taxa de queda.
B Manobra que diminui a relação entre a superfície da asa e o peso em voo, provocando o aumento da sua taxa de queda.
C Manobra de emergência usada apenas para estabilizar a subida em térmica turbulenta.
D Manobra de instabilidade que só deve ser usada por pilotos de acrobacia.

Pergunta 32

Para a mesma asa, a melhor finesse:

A É independente da carga alar.
B É superior para um carga alar superior.
C É superior para um carga alar inferior.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 33

Relativamente ao estudo das velocidades de um determinado perfil, uma polar de velocidades é estabelecida na relação entre:

A A velocidade máxima e a taxa de subida.
B A velocidade horizontal e a taxa de subida.
C A velocidade vertical e a velocidade horizontal.
D A velocidade vertical e a taxa de queda.

Pergunta 34

Em caso de um grande fecho assimétrico involuntário o piloto deve:

A Contrariar a tendência natural de rotação da asa para o lado do fecho.
B Apoiar a tendência natural de rotação da asa para o lado do fecho.
C Não intervir e deixar a asa atuar naturalmente.
D Baixar os dois manobradores rapidamente.

Pergunta 35

Na aproximação à aterragem.

A O grau de pranchamento deve ser sempre superior a 90º para facilitar a descida.
B A técnica de aproximação em L é a que permite fazer um melhor reconhecimento do terreno.
C Os parapentes também são obrigados a cumprir a técnica PT (Padrão de Tráfego).
D A técnica em O é a que melhor permite aperceber-se da direção e intensidade do vento.

Pergunta 36

Em caso de acidente num local com vento

A O controlo da asa pode ser preponderante no socorro da vítima.
B A proteção térmica do acidentado não é muito importante.
C Primeiro que tudo deve retirar-se o acidentado da cadeira/ arnês para não ser arrastado.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 37

Um piloto que ao aterrar sofra um traumatismo num pé, cuja posição esteja diferente do normal, deve-se suspeitar de fratura. Deverá proceder-se da seguinte forma:

A Retirar o calçado e colocar o pé na posição habitual para o piloto ter menos dores.
B Não retirar o calçado, corrigir a posição do pé e imobilizar.
C Retirar o calçado, e imobilizar o pé na posição em que se encontra.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 38

Verificando-se que uma vítima apresenta uma deformação no braço resultante de uma fratura, deve-se:

A Imobilizar o braço tal como se apresenta, prevenir o estado de choque ou controlá-lo, se existir, dar um objeto de borracha para a mão para ir apertando de forma a manter a circulação sanguínea e promover o transporte para uma emergência hospitalar.
B Imobilizar o braço tal como se apresenta, prevenir o estado de choque ou controlá-lo, se existir, e promover o transporte para uma emergência hospitalar.
C Esticar o braço, aplicar uma tala, prevenir o estado de choque ou controlá-lo, se existir, e promover o transporte para uma emergência hospitalar.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 39

Em caso de hemorragia:

A Aplicar sempre, em simultâneo com qualquer outra ação, a compressão manual direta nas duas artérias carótidas de forma a diminuir a quantidade de sangue em circulação.
B Aplicar sempre compressão manual direta.
C Aplicar compressão manual indireta caso apresente corpos estranhos encravados.
D Não atuar, esperar a chegada de meios de socorro adequados.

Pergunta 40

Após uma aterragem violenta no meio de rochedos, a vítima queixa-se de dores abdominais, apresenta-se pálida, com suores frios e tem sede. Suspeitamos de:

A Hemorragia interna no abdómen e não devemos dar-lhe água.
B Traumatismo craniano e não devemos dar-lhe água.
C Gastroenterite aguda e não devemos dar-lhe água.
D Fratura do osso abdominal e não devemos dar-lhe água.

Princípios de voo

Pergunta 41

O princípio da sustentação tem como referência, no que diz respeito à sua explicação mais usual, o escoamento do ar no intradorso relativamente ao extradorso, sendo:

A A velocidade mais alta no extradorso e mais baixa no intradorso
B A mesma velocidade no extradorso e no intradorso.
C A velocidade mais baixa no extradorso e mais alta no intradorso.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 42

À distância entre o bordo de ataque e o bordo de fuga chamamos:

A Alongamento.
B Enflechamento.
C Curvatura.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 43

Rendimento aerodinâmico:

A Quando vários tipos de resistência se combinam, criam uma resistência ainda maior, a de pressão.
B A resistência de interferência é produzida pela sustentação.
C Tudo o que não cria sustentação, cria resistência parasita.
D A resistência induzida é devida à viscosidade do ar.

Pergunta 44

A RFA é o somatório das forças:

A Peso e resistência.
B Sustentação e peso.
C Sustentação e Resistência.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 45

Uma asa cuja velocidade mãos em cima é de 45km/h, move-se a 65km/h. Assim, podemos considerar que:

A Se desloca numa ascendente com uma velocidade de subida na ordem dos 2,0m/s.
B Se não existe vento de costas é porque o piloto está com os manobradores a 70%.
C Se desloca com vento de costas na ordem dos 20 km/h.
D Se não existe vento de costas é porque o piloto está com os manobradores a 20%.

Pergunta 46

Uma asa entra em perda se o piloto:

A Aumenta a velocidade da asa acima da velocidade máxima de voo.
B Aumenta a velocidade da asa acima da velocidade mínima de voo.
C Diminui a velocidade da asa abaixo da velocidade mínima de voo.
D Diminui a velocidade da asa acima da velocidade máxima de voo.

Pergunta 47

Ao fazer uma volta demasiado lenta a asa pode entrar facilmente em:

A Perda sustentada.
B Parachutagem.
C Perda assimétrica.
D Perda dinâmica.

Pergunta 48

A definição de carga alar traduz-se:

A Na relação entre o peso da asa e a sua superfície.
B Na relação entre o peso do equipamento de voo e a superfície da asa.
C Não tem qualquer relação entre peso e superfície.
D Na relação entre o peso total em voo e a superfície da asa.

Pergunta 49

Em termos aerodinâmicos:

A Aumentado o ângulo de ataque a velocidade aumenta.
B Aumentado o ângulo de ataque a velocidade diminui.
C Diminuindo o ângulo de ataque a velocidade diminui.
D Nenhuma das anteriores.

Pergunta 50

O cabeceio deve ser controlado pois quando exagerado pode provocar:

A Perda assimétrica.
B Perda total.
C Fecho frontal.
D Fecho assimétrico.



Ao terminar carrega em 'CORRIGIR' para obteres o resultado.